Skip to content

Watchmen

6 março, 2009

watchmen

Em um tempo onde a sociedade não podia mais contar com heróis mascarados para zelar pela sua segurança, graças a uma lei do governo estadosunidense e a ameaça de um holocausto nuclear assombrava o mundo, heróis ‘não oficiais’, surgem na noite escura que abala o sonho americano, este é o universo de Watchmen.

Lançado em 1986, Watchmen, foi um romance gráfico publicada em edição de luxo, pela DC comics em doze partes. Considerado a obra prima de  Alan Moore, foi ilustrada por Dave Gibbons e uma das adaptações cinematográficas mais esperados dos últimos anos (eu diria que quase 20).

É inegável a importância marcante de Watchmen e a sua influência para os quadrinhos e até outras mídias.”

Daniel Brandão

Considerado “um divisor de águas na história dos quadrinhos”, a série foi ganhadora dos prêmios Kirby Awards (1987) e Eisner Awards (1988), além de estar na lista dos ‘100 melhores romances de língua inglesa’ da Time Magazine.

watchmen-edicoes

watchmen_absolute

A narrativa é complexa. Alan Moore “utiliza-se muito bem de todos os preceitos criados no universo dos super-heróis, mas foge totalmente dos clichês. Ele propõe com a obra o uso de temáticas adultas e complexas, como a teoria do caos, a contextualização política americana e a guerra fria.” (Daniel Brandão, ‘Watchmen: uma análise deste marco da arte sequencial’).

Carregando o estigma de uma obra impossível de ser adaptada para o cinema, o filme dirigido por Zack Snyder, responsável por 300 (aquele que tem o Santoro, tá gurias!), chega as telas prometendo não ser 100% fiel ao original, o que para fãs de quadrinhos já começa sendo uma heresia. Porém, Snyder promete não decepcionar.

watchmen_poster

Zack Snyder tentou tornar Watchmen o mais realista possível, sem grandes estrelas no elenco, com personagens bem caracterizados. Os figurinos parecem bastante fiéis aos da HQ. Apenas os visuais do Coruja e da heroína Espectral, ganharam uma modernização em relação ao visual original. O ilustrador Dave Gibbons não participou do processo de criação do figurino do filme, mas suas influências estão lá, como afirmo a ilustradora de figurinos Dawn Brown. “O designer de figurino, Michael Wilkinson, me deu uma direção muito específica no design dos trajes,” ela disse em entrevista ao site SyFy Portal . “Obviamente, estamos todos atentos ao que Dave Gibbons fez. Alguns designs de personagens são muito fiéis ao gibi. Outros serão completamente diferentes.”

Aliás, a graphic novels de More e Gibbonbs também é excelência no quisito figurino. Em uma breve análise, o site do SPFW apontou algumas referências que compõem o  visual dos Watchmen.

“Com sua máscara pós-moderna inspirada pelo famoso teste de Rorschach (aquele com as figuras simétricas), esse superherói freudiano é excêntrico e chic com inseparáveis trenchcoat e chapéu em estilo trilby. Ele acredita no moralismo, é extremamente conservador e teve psicólogos do mundo todo analizando seu rosto por sinais de inferioridade – as manchas mudavam sempre.O detetive Walter “Rorschach” Kovacs foi eleito um dos mais bem vestidos super-herois da história.”


Walter “Rorschach” Kovacs: aposta nos clássicos como trench coats estilo Burberry
Edward “Comediante” Blake: estilo sci fi dos anos 1980, como Kurt Russel em “Fuga de Nova York”

Dan “Coruja” Dreiberg: deve ter Batman como ícone de estilo

 Laurie “Espectral” Jupiter: mistura de Agent Provocateur e Lady Gaga

 Adrian “Ozymandias” Veidt: a sofisticação

[imagens: SPFW]

Watchmen é inegavelmente o filme mais aguardado dos últimos anos. E sua adaptação já gerou muita polêmica, um quase cancelamento do filme e  caras feias de fãs e  claro, de Alan Moore.  Talvez porque fãs de quadrinhos sejam exigentes demais, ou porque  Alan Moore nunca quisesse ver sua obra nas telas, ou talvez porque o trauma que Joel Schumacher causou em todo o mundo (seja para os fãs de quadrinhos ou não) quando lançou Batman e Robin, seja irreparável. Mas acreditem, por pior que um filme possa ser, nada poderá ser tão ruim quanto o filme de Schumacher.[Confesso que ainda tenho pesadelo com ele.  God save Batman, ‘The Dark Knight.]

Curiosidade: O Smile, carinha sorridente, símbolo usado pelo personagem Comediante, na forma de um bótom preso ao seu uniforme, foi adotada o fim dos anos 80 pelos simpatizantes da Acid House (sonoridade que mistura o house de Chicago, remixes club de artistas pop como Cyndi Lauper e Madonna e indie rock tipo Woodentops) “movimento que e ganhou força como manifestação de estilo e estética” e elevou o Smiley a “ícone fashion, sendo adotado por estilistas em desfiles de moda e utilizado para estampar várias peças de vestuário, de camisetas a calcinhas, bolsas, capas de caderno, adesivos, borrachas e um monte de tranqueiras.” (Sequencial)

Veja o Trailer:

Comparação entre a graphic novel e o filme:

Leia mais:
*Sequencial: O que faz de Watchmen um clássico das HQs?

One Comment leave one →
  1. mallu permalink
    7 março, 2009 10:13 am

    já ouvi falar, mas nunca tive a oportunidade de ler. mas com certeza vou ao cinema assistir o filme. excelente post. bjokas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: