Skip to content

Sistema de Cotas no SPFW

21 maio, 2009

Moro no Brasil. Não sei se moro muito bem ou muito mal…Inteligência é fundamental”*

Poderia escrever sobre o quanto o sistema de cotas só aumenta as barreiras raciais existentes no país e como essa história de “tornar diferente para deixar igual” só dificulta a posição de negros e pardos num país que nega as suas raízes, distorce seus valores e acredita que por aqui o preconceito não exite e blá, blá…

Está no Folha Online, no Lílian Pacce (aqui e aqui ), em todo lugar: o Ministério Público Estadual e o SPFW, assinaram Termo de Ajustamento de Conduta (TAC parece nome de alguma medida assustadora da época da ditadura) se comprometendo a estimular (?!) a contratação de pelo menos 10 % de negros, afro-descendentes e indígenas no número total dos modelos para o evento.

modelosnegrasSPFWSamira Cravalho (Alexandre Herchcovitch) e Gracie Carvalho (Glória Coelho)

Depos de ler reler sobre os assunto, fico apenas com um trecho da entrevista da atriz Isabel Filardes retiradas ao Terra:

“Por um lado, o Paulo Borges (organizador da SPFW) está certo. Cada um tem o direito de escolha, de querer aquela ou aquele modelo na passarela, com a sua roupa. Mas existe a questão também, (de que) se a gente for colocar cota para tudo, onde é que vai estar a capacidade de cada um? Onde é que está o talento de cada um? (…) Eu acho que não adianta você pegar e impor, tanto para uma universidade ou um empresário”

Cotas são lamentáveis. Mas o Brasil é um país que precisa ser educado a aceitar as diferenças e não a ignorá-las e fingir que está tudo bem. Desde criança, somos ensinados a guardar nossos preconceitos dentro bolso, na gaveta, no fundo do armário… Enquanto não mudarmos a “cultura do faz de conta”, cotas e mais cotas serão impostas, o que não mudará a mentalidade de um povo da noite para o dia e significa que por muito tempo negros, pardos, índios, deficientes serão apenas 10% entre os demais.

Leia a entrevista completa no Terra Magazine.
*Seu Jorge - Moro no Brasil
7 Comentários leave one →
  1. Biah permalink
    21 maio, 2009 4:49 pm

    vergonhosa essa história de cotas! “se a gente for colocar cota para tudo, onde é que vai estar a capacidade de cada um? Onde é que está o talento de cada um?”

  2. mallu permalink
    21 maio, 2009 4:55 pm

    Acho que tudo isso começou por causa da declaração da Glória Coelho! Temos modelos negras lindíssimas! achei um post da Thais Losso (http://thaislosso.wordpress.com/2008/01/10/cade-as-nossas-meninas-negras-alguem-viu/) com modelos lindas e taelntosas, olha lá maga. É uma pena que o Brasil ainda tenha aquela mentalidade do início do século passado e queira ser europeu! Odeio esse terceiro mundo em que eu vivo!

  3. 21 maio, 2009 11:45 pm

    Já pensei sobre isso…não sei se sou contra ou não as cotas!Um país aonde as oportunidades são tão poucas pra grande maioria;negros,brancos…o buraco é mais embaixo…mas,não sei se as cotas também não são um começo…sei não.

    bjs,Mônica

  4. roger permalink
    22 maio, 2009 5:32 pm

    Esse assunto é muito delicado e tem raízes históricas. Cotas são lamentáveis, como você escreveu. Mas se queremos educar o povo elas são preciso. Um dia não serão necessárias. Como negro, não acho que cotas são uma vitória, são um mal necessário.

  5. Deusdédit Ramos de Morais permalink
    22 maio, 2009 9:51 pm

    Se vivêssemos em um país que seguisse o civilizado sistema da meritocracia, talvez não precisassemos estar discutindo em pleno século 21 questões que foram a muito resolvidas em países que acostumamos e gostamos de citar como civilizados. Como disse um dos comentaristas deste post, o buraco é mais embaixo, e em se tratando de Brasil e suas elites de métodos e práticas stalinistas -ainda que execrem Stalin- é muito mais embaixo do que se imagina.

  6. 24 maio, 2009 6:48 pm

    Oi querida!!! Estive por um tempo afastada dos blogs, mas agora voltei e pretendo manter ele minimamente atualizado hahaha. Dê uma passadinha por lá 😉

    Quanto ao post, concordo com os comentários anteriores, “uma pena que o Brasil ainda tenha aquela mentalidade do início do século passado e queira ser europeu”. Lamentável :/

    Beijos!

  7. 25 maio, 2009 1:01 am

    com isso parece que somos racistas. concordo que o nosso país precisa ser educado e se aceitar como somos. mas gente, as pessoas mesmo não se aceitam. tudo alisam cabelo, se são gordinhas ficam enlouquecendo para a magreza… e até na cor, infelizmente isso ocorre. enfim!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: